Pesquisar
Close this search box.
Mato Grosso do Sul, 25 de maio de 2024
Campo Grande/MS
Fuente de datos meteorológicos: clima en Campo Grande a 30 días

Expectativa para primeira quinzena é positiva, enquanto preços de frango seguem estáveis

O mercado brasileiro de frango registrou preços mistos durante a semana. Segundo o analista de Safras & Mercado, Fernando Iglesias, o mercado registrou pouca movimentação de preços, com registro de queda em Minas Gerais
Imagem - Fornari/Divulgação
Imagem - Fornari/Divulgação

“No curto prazo, os agentes de mercado devem prestar atenção na reposição ao longo da cadeia e no nível do alojamento de pintainhos. O custo da nutrição animal segue como viés favorável para o setor, considerando a curva de preços do farelo de soja e do milho”, disse o analista.

Em relação ao mercado atacadista, Iglesias pontua que a semana prosseguiu apresentando preços estáveis. “A expectativa para a quinzena de março é positiva, considerando a entrada da massa salarial na economia, o que tende a ajudar o consumo na ponta final e posteriormente a reposição”, concluiu.

Preços internos

Segundo levantamento de SAFRAS & Mercado, no atacado de São Paulo os preços dos cortes congelados de frango tiveram mudanças ao longo da semana. O preço do quilo do peito subiu de R$ 10,10 para R$ 10,30, o quilo da coxa teve estabilidade de R$ 6,50 e o quilo da asa caiu de R$ 12,20 para R$ 11,90. Na distribuição, o preço do quilo do peito teve aumento de R$ 10,30 para R$ 10,60, o quilo da coxa seguiu em R$ 6,70 e o quilo da asa teve queda de R$ 12,30 para R$ 12,00.

Nos cortes resfriados vendidos no atacado, o cenário da semana também apresentou alterações nas cotações durante a semana. No atacado, o preço do quilo do peito teve alta de R$ 10,20 para R$ 10,40, o quilo da coxa continuou em R$ 6,60 e o quilo da asa diminuiu de R$ 12,30 para R$ 12,00. Na distribuição, o preço do quilo do peito cresceu de R$ 10,40 para R$ 10,70, o quilo da coxa permaneceu em R$ 6,80 e o quilo da asa teve baixa de R$ 12,40 para R$ 12,10.

O levantamento mensal realizado por SAFRAS & Mercado nas principais praças de comercialização do Brasil apontou que, em Minas Gerais, o quilo vivo caiu de R$ 5,25 para R$ 5,20, em São Paulo, o preço permaneceu em R$ 5,20.

Na integração catarinense a cotação do frango ficou em R$ 4,40. Na integração do oeste do Paraná, a cotação seguiu em R$ 4,65 e, na integração do Rio Grande do Sul, em R$ 4,90.

No Mato Grosso do Sul, o preço do quilo vivo do frango permaneceu em R$ 5,00, em Goiás a cotação caiu de R$ 5,15 para R$ 5,10 e, no Distrito Federal, de R$ 5,25 para R$ 5,20.

Em Pernambuco, o quilo vivo continuou em R$ 7,00, no Ceará caiu de R$ 6,20 para R$ 6,10 e, no Pará, seguiu em R$ 7,00.

Exportações

As exportações de carne de aves e suas miudezas comestíveis, frescas, refrigeradas ou congeladas do Brasil renderam US$ 639,245 milhões em fevereiro (19 dias úteis), com média diária de US$ 33,649 milhões. A quantidade total exportada pelo país chegou a 368,654 mil toneladas, com média diária de 19,402 mil toneladas. O preço médio da tonelada ficou em US$ 1.734,30.

Em relação a fevereiro de 2023, houve queda de 4,1% no valor médio diário, avanço de 4,3% na quantidade média diária e queda de 8,1% no preço médio. Os dados foram divulgados pela Secretaria de Comércio Exterior.

Suas preferências de cookies

Usamos cookies para otimizar nosso site e coletar estatísticas de uso.