Pesquisar
Close this search box.
Mato Grosso do Sul, 3 de março de 2024
Campo Grande/MS
Fuente de datos meteorológicos: clima en Campo Grande a 30 días

Bombardeio de Israel em Gaza mata 1ª mulher eleita para gabinete político do Hamas

Jamila al-Shanti foi morta num bombardeio israelense à Faixa de Gaza
Jamila al-Shanti foi morta num bombardeio israelense à Faixa de Gaza

A primeira mulher eleita para o gabinete político do Hamas, Jamila al-Shanti, foi morta num bombardeio israelense à Faixa de Gaza, anunciou nesta quinta-feira o movimento islâmico palestino, no 13º dia da guerra contra Israel. Ela era viúva de Abdel Aziz al-Rantisi, fundador do grupo extremista no fim dos anos 1980 e falecido em 2004.

O Exército de Israel já havia confirmado a morte do chefe do braço militar dos Comitês de Resistência Popular em Rafah, Rafat Harev Hossein Abu Halal. Fontes em Gaza afirmam que bombardeios israelenses também mataram o chefe das forças de segurança interna de Gaza, Jehad Mheisen. A informação, atribuída a uma agência de notícias alinhada pelo Hamas, foi repercutida por veículos de imprensa internacional, como Reuters e Haaretz.

Já Al Shanti, de 64 anos, foi morta num bombardeamento lançado pelo Exército israelense na noite de quarta-feira em Jabaliya, no norte do enclave palestino, disse o Hamas.

Além de ser membro do gabinete político do movimento islâmico, a liderança do Hamas, ela ocupava o cargo de deputada no Parlamento da Autoridade Palestiniana desde 2006.

O órgão legislativo já não se reunia desde que o Hamas tomou o poder na Faixa de Gaza em 2007. Em 2021, Al Shanti tornou-se a primeira mulher a juntar-se ao gabinete político de 20 membros.

Outra mulher, Fatima Shurab, também ingressou no gabinete político na sequência, como chefe da comissão de mulheres do movimento. Os analistas interpretaram a presença destas duas mulheres na gestão como um “sinal positivo” enviado à comunidade internacional.

Os bombardeios israelenses contra a Faixa de Gaza, em retaliação a um ataque terrorista do Hamas, em 7 de outubro, deixaram mais de 3.500 mortos, segundo o relatório mais recentes das autoridades locais.

Mais de 1.400 pessoas foram mortas em Israel desde 7 de outubro, quando militantes do Hamas lançaram uma ofensiva terrestre, marítima e aérea contra Israel, o ataque mais mortal desde a criação do Estado judeu em 1948.

Suas preferências de cookies

Usamos cookies para otimizar nosso site e coletar estatísticas de uso.