Pesquisar
Close this search box.
Mato Grosso do Sul, 29 de maio de 2024
Campo Grande/MS
Fuente de datos meteorológicos: clima en Campo Grande a 30 días

DEM faz teste para 2022 e tenta nacionalizar Mandetta

Mandetta é ex-ministro da Saúde e é uma das alternativas do DEM para a eleição de 2022
Mandetta é ex-ministro da Saúde e é uma das alternativas do DEM para a eleição de 2022

O ex-ministro da Saúde Luiz Henrique Mandetta tenta conquistar apoio nacional para ser uma das alternativas nas eleições presidenciais de 2022. Ele esteve há poucas semanas em conflito com o DEM, seu próprio partido, por conta dos acenos do presidente da legenda, ACM Neto, à candidatura à reeleição de Jair Bolsonaro.

Mandetta foi ministro de Bolsonaro e, por conta das atitudes do presidente na pandemia, deixou a pasta e virou rival do ex-chefe.

Na semana passada, o ex-ministro e o ex-prefeito de Salvador (BA) se reuniram na casa do secretário-geral do DEM, Pauderney Avelino, em Brasília (DF). A conversa foi pacificadora e que não foi mencionada a possibilidade de saída de Mandetta do DEM, algo cogitado por ele recentemente.

“É um quadro que tem dimensão nacional, é uma referência no assunto saúde pública e a experiência pode neste momento trazer importantes contribuições nessa reflexão dos caminhos para superação da pandemia. É natural que o partido dê todo espaço e relevância para que com a experiência dele, ele possa trazer sua contribuição para o país”, disse Neto.

ACM Neto tem dito que o DEM não começou as discussões sobre 2022 e que isso não deveria ser feito durante o momento de agravamento da pandemia do coronavírus.

A mobilização do DEM por Mandetta neste momento não significa necessariamente que o partido vai optar por lançá-lo no pleito do ano que vem. Além de Mandetta e Bolsonaro, há integrantes do partido que apoiam Ciro Gomes (PDT) e João Doria (PSDB).

Em relação ao ex-presidente da Câmara Rodrigo Maia (DEM-RJ), ele ainda não enviou à direção nacional da legenda o pedido de desfiliação. Maia e Neto não se falam desde o primeiro dia de fevereiro, data da eleição de Arthur Lira (PP-AL) para a presidência da Câmara.

A aliados, o dirigente do DEM tem afirmado que não descarta uma reconciliação com Maia, mas isso só aconteceria com um gesto público do deputado do Rio de Janeiro de retirar as críticas que fez. Nas redes sociais, Maia classificou ACM Neto como “mau caráter”.

O ex-presidente da Câmara entrou em atrito com o DEM por conta do apoio que deputados do partido deram a Lira em detrimento de Baleia Rossi (MDB-SP), candidato apoiado pelo deputado do Rio como seu sucessor no comando da Casa. Ele criticou ACM Neto por não conter o movimento dos deputados em direção ao apoio ao político do PP.

Suas preferências de cookies

Usamos cookies para otimizar nosso site e coletar estatísticas de uso.