Pesquisar
Close this search box.
Mato Grosso do Sul, 16 de abril de 2024
Campo Grande/MS
Fuente de datos meteorológicos: clima en Campo Grande a 30 días

Ex-chefe da Casa Civil ataca general que ameaçou prender Bolsonaro por tentativa de golpe

Senador Ciro Nogueira (PP-PI) criticou general Freire Gomes que, segundo depoimento do ex-chefe da Aeronáutica Baptista Júnior teria ameaçado ex-presidente: ‘Cometeu prevaricação ao não denunciar ou é caluniador’
Senador Ciro Nogueira (PP-PI) Foto: Marcelo Camargo
Senador Ciro Nogueira (PP-PI) Foto: Marcelo Camargo

O senador e ex-chefe da Casa Civil, Ciro Nogueira (PP-PI), criticou nesta segunda-feira o general Freire Gomes que, segundo depoimento do ex-chefe da Aeronáutica Baptista Júnior à Polícia Federal teria ameaçado o ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) de prisão, caso avançasse com a tentativa de golpe de estado. Em pronunciamento, o aliado do ex-mandatário questionou a postura dos dois integrantes das Forças Armadas de não terem denunciado a suposta trama golpista.

O General da ativa mais importante do país na ocasião que ouviu uma ameaça grave à Democracia é o mesmo que agora bate no ex-Comandante em Chefe que perdeu as eleições da mesma forma que bateria continência para o mesmo Comandante em Chefe, caso ele tivesse sido reeleito? questionou o senador.

Em seguida, Ciro Nogueira chamou Freire Gomes de “criminoso inconteste”.

— Está absolutamente provado que há um criminoso inconteste. Ou o criminoso que cometeu prevaricação ao não denunciar ao país o “golpe” ou o caluniador que o denuncia hoje, não tendo ocorrido disse.

Por fim, o senador afirmou que o general teria apoio da sociedade brasileira caso tivesse denunciado a trama golpista em dezembro de 2022 e ironizou as denúncias.

— Borrar-se agora porque não pode fazer as continências que faria é uma vergonha inominável. Todos os militares têm o dever de honrar sua farda. Alguns deveriam ter ainda mais compromisso em honrar seus pijamas.

Depoimentos à PF

Na última sexta-feira, o ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), derrubou o sigilo de parte dos depoimentos que compõem a investigação da trama do golpe, que envolve o ex-presidente Jair Bolsonaro.

Em seus esclarecimentos, Baptista Júnior afirmou que Freire Gomes teria ameaçado o ex-presidente de prisão: “Depois de o Presidente da República, JAIR BOLSONARO, aventar a hipótese de atentar contra o regime democrático, por meio de algum instituto previsto na Constituição (GLO ou Estado de Defesa ou Estado de Sítio), o então Comandante do Exército, General FREIRE GOMES, afirmou que caso tentasse tal ato teria que prender o Presidente da República”, diz trecho.

Suas preferências de cookies

Usamos cookies para otimizar nosso site e coletar estatísticas de uso.