Pesquisar
Close this search box.
Mato Grosso do Sul, 22 de abril de 2024
Campo Grande/MS
Fuente de datos meteorológicos: clima en Campo Grande a 30 días

Ex do programa ‘A Fazenda’, é intubada após 90 minutos em parada respiratória

Chegou no hospital, foi muito bem atendida, e apresentou alguns sinais de envenenamento porque pensei na ameaça [que ela sofreu]
Jenny Miranda Foto: Instagram/ @jennybritomiranda/ Divulgação
Jenny Miranda Foto: Instagram/ @jennybritomiranda/ Divulgação

Jenny Miranda, ex-Fazenda, sofreu uma parada respiratória no último fim de semana e ficou 90 minutos sendo reanimada pelo marido, Fábio Gontijo. Ela foi levada de ambulância para um hospital no Guarujá, litoral de São Paulo, e precisou ser intubada. Consegui dar toda a assistência para ela, caso contrário ela teria falecido”, disse o companheiro dela, que é médico.

De acordo com Fábio, o dia começou com a ex-Fazenda sendo atacada por alguns haters. “Chegamos no Guarujá e a Jenny fez uma surpresa para mim. À tarde, nós encontramos um grupo de haters e essa menina começou a agredir a Jenny. Eu entrei no meio e acabei me machucando um pouco também. Elas fizeram algumas ameaças. A Jenny está recebendo muito carinho pela rua, mas infelizmente acontece essas coisas chatas às vezes”, disse, no Instagram Stories.

Ele contou como foi a sequência do dia até que Jenny começou a passar mal. “Fomos para o hotel, descansamos e à noite decidimos sair. Chegou lá, foi tranquilo, a Jenny bebeu pouco ao contrário do que estão dizendo aí que ela foi [internada] por álcool, não foi. Chegamos no hotel, a Jenny começou a vomitar. Foi vomitando um pouco no caminho e no hotel começou a vomitar mais. Ela foi rapidamente perdendo um pouco da consciência e da capacidade de respirar”, contou.

“Eu peguei o telefone, chamei a ambulância e foi aquele desespero. Fiquei por 90 minutos fazendo ressucitação respiratória nela. Ela perdeu a capacidade de respirar, mas graças a Deus o coração estava ok”, ressaltou.

O marido da influenciadora continuou: “Acredito que se eu não fosse médico, não tivesse habilitação para fazer a ressucitação ela teria morrido. Até então, a suspeita era de intoxicação por camarão. Chegou no hospital, foi muito bem atendida, e apresentou alguns sinais de envenenamento porque pensei na ameaça [que ela sofreu]. Mas acabou que a hipótese foi de intoxicação por camarão porque ela melhorou com adrenalina. Pelo fato de ter perdido a consciência e não estar conseguindo respirar direito foi feita intubação.”

Suas preferências de cookies

Usamos cookies para otimizar nosso site e coletar estatísticas de uso.