Pesquisar
Close this search box.
Mato Grosso do Sul, 22 de abril de 2024
Campo Grande/MS
Fuente de datos meteorológicos: clima en Campo Grande a 30 días

Filme com Julia Roberts e Brad Pitt na Netflix vai fazer você esquecer todos os problemas

Para os fãs dos atores principais ou do diretor, “A Mexicana” pode oferecer momentos de diversão descompromissada
Fotos Julia Roberts, Brad Pitt
Fotos Julia Roberts, Brad Pitt

“A Mexicana”, dirigido por Gore Verbinski em 2001, transita pelo gênero de ação e comédia com uma narrativa que tenta equilibrar humor, romance e elementos de crime. O filme, estrelado por Brad Pitt, Julia Roberts e James Gandolfini, propõe uma aventura que se desdobra em meio a uma trama envolvendo uma pistola antiga, a “Mexicana”, carregada de história e maldição.

O enredo segue Jerry Welbach (Pitt), encarregado de recuperar a pistola mencionada para seu chefe mafioso, e Samantha Barzel (Roberts), a namorada de Jerry que almeja uma vida mais estável e segura. A dinâmica entre os personagens se intensifica com a introdução de Leroy (Gandolfini), um assassino contratado que acaba criando uma relação inesperada com Samantha. A interação entre Roberts e Gandolfini é, sem dúvida, um dos pontos altos do filme, trazendo profundidade aos seus personagens através de diálogos que revelam suas vulnerabilidades e desejos.

Verbinski tenta manter o ritmo com uma série de reviravoltas, mantendo o espectador engajado na história. No entanto, a execução nem sempre é bem-sucedida, levando a momentos de confusão narrativa e perda de foco no desenvolvimento dos personagens. A tentativa de mesclar comédia romântica com elementos de ação não alcança um equilíbrio perfeito, resultando em uma experiência que, embora tenha seus momentos divertidos, é insuficiente em termos de coerência e impacto emocional.

Visualmente, o filme se beneficia da fotografia que capta tanto a beleza quanto a brutalidade das locações, contribuindo para a atmosfera geral. A trilha sonora, embora não seja particularmente memorável, complementa adequadamente as diversas cenas, variando entre momentos tensos e cômicos.

Em termos de atuação, Pitt e Roberts entregam performances competentes, mas é Gandolfini quem rouba a cena com sua interpretação complexa e matizada. Sua capacidade de alternar entre ameaçador e carismático adiciona uma camada necessária de interesse ao filme.

No final das contas, “A Mexicana” tenta abarcar mais do que consegue, resultando em uma experiência que é, em partes, entretenimento leve, mas que falha em deixar uma impressão duradoura. A tentativa de Verbinski de tecer uma história que mistura gêneros não é totalmente bem-sucedida, deixando o filme em um limbo entre o que aspira ser e o que efetivamente é.

Para os fãs dos atores principais ou do diretor, “A Mexicana” pode oferecer momentos de diversão descompromissada. No entanto, para aqueles que buscam uma narrativa mais sólida e um desenvolvimento de personagem mais aprofundado, o filme pode não atender às expectativas.

Suas preferências de cookies

Usamos cookies para otimizar nosso site e coletar estatísticas de uso.