Pesquisar
Close this search box.
Mato Grosso do Sul, 16 de abril de 2024
Campo Grande/MS
Fuente de datos meteorológicos: clima en Campo Grande a 30 días

Folião é esfaqueado em arrastão após bloco de Carnaval no Rio

Alexandre Heringer levou duas facadas nas costas

Um homem foi esfaqueado em um arrastão no final do ensaio do bloco Orquestra Voadora, no Aterro do Flamengo, zona sul do Rio de Janeiro, por volta das 19h deste domingo (21).

O administrador Alexandre Heringer, 35, levou duas facadas nas costas. Ele foi atendido no hospital municipal Souza Aguiar, no centro, e recebeu alta no fim da noite.

Oito suspeitos de envolvimento no caso e em outros assaltos foram presos pela Polícia Militar. Os nomes deles não foram divulgados.

A PM disse que uma equipe do 2º BPM (Botafogo) foi acionada após a vítima dar entrada na unidade de saúde. Os agentes depois o levaram para a delegacia para registrar a ocorrência.

De acordo com a Polícia Civil, o caso foi registrado como roubo e tentativa de furto. A ocorrência foi apresentada inicialmente na delegacia de Copacabana e, depois, encaminhada para a delegacia do Catete, responsável pela área onde os crimes ocorreram.

A vítima foi ferida quando estava na descida da rampa do Museu de Arte Moderna do Rio, no final do desfile do bloco. Relatos dão conta de que uma segunda pessoa também teria sido esfaqueada no ensaio, mas a Polícia Militar não confirma a informação.

Testemunhas também disseram ter visto o que parecia ser uma simulação de briga, dentro de um mesmo grupo, com o objetivo de causar tumulto e roubar foliões. Ainda segundo os relatos, alguns suspeitos fingiam querer dançar com turistas para conseguir se aproximar e furtar pertences.

A PM afirma que, com os relatos das vítimas, os oito suspeitos foram localizados com seis telefones celulares, dois cordões, um relógio e duas facas. Eles foram reconhecidos e autuados em flagrante.

Em nota, a organização da Orquestra Voadora lamentou o caso e disse estar trabalhando em busca de soluções imediatas contra os atos de violência.

“Precisamos nos unir e reivindicar segurança pública efetiva nas ruas para que o Carnaval continue acontecendo.”

Suas preferências de cookies

Usamos cookies para otimizar nosso site e coletar estatísticas de uso.