Pesquisar
Close this search box.
Mato Grosso do Sul, 19 de maio de 2024
Campo Grande/MS
Fuente de datos meteorológicos: clima en Campo Grande a 30 días

Força Nacional deixa operação de buscas a fugitivos de Mossoró; gastos passam de R$ 2 mi

O grupo foi enviado para reforçar os trabalhos de buscas liderados pela Polícia Federal (PF) que começaram em 14 de fevereiro, desde que os dois fizeram história ao serem os primeiros a escapar do sistema penitenciário federal, criado em 2006
Foto: Jamile Ferraris / MJSP
Foto: Jamile Ferraris / MJSP

Agentes da Força Nacional que há cerca de 40 dias atuam na busca de Deibson Nascimento e Rogério Mendonça, integrantes do Comando Vermelho (CV) foragidos do presídio de segurança Máxima de Mossoró (RN), começam a se desmobilizar para deixar a região e voltar a Brasília. 

O grupo foi enviado para reforçar os trabalhos de buscas liderados pela Polícia Federal (PF) que começaram em 14 de fevereiro, desde que os dois fizeram história ao serem os primeiros a escapar do sistema penitenciário federal, criado em 2006. Apesar de pistas que levassem as polícias a chegarem próximas aos lugares por onde eles passaram, ninguém ainda foi capturado. 

Divididos em 22 viaturas e um ônibus, os 111 homens da Força Nacional chegaram ao Rio Grande do Norte em 23 de fevereiro, com a previsão de reforçarem a caçada pelos fugitivos por 30 dias. Como Deibson e Rogério não foram localizados no tempo previsto, o prazo acabou sendo prorrogado por mais dez dias pelo ministro da Justiça e Segurança Pública, Ricardo Lewandowski.

Esta semana, no entanto, ele avisou que não haveria nova prorrogação e que os agentes disponibilizados pela pasta retomariam suas atribuições de origem já na próxima semana. As buscas, no entanto, seguem sem prazo para serem encerradas enquanto helicópteros, drones e cães farejadores são empregados no encalço dos foragidos. A vegetação e o relevo da região, com centenas de cavernas de difícil acesso, favorecem os foragidos para se esconder. 

Desde que foi iniciada a caçada, seis pessoas foram presas por suspeita de envolvimento na colaboração do sumiço dos presos. De acordo com a PF, uma facção criminosa os teria ajudado a pagar R$ 5 mil ao dono de uma fazenda que auxiliou na fuga, permitindo que se escondessem na propriedade dele. Pelo menos três casas foram invadidas pela dupla, que chegou a fazer uma família refém. A Polícia Federal investiga as pessoas com as quais os foragidos entraram em contato.

Os 111 policiais e bombeiros da Força Nacional fizeram varreduras nas matas e fiscalizações nas rodovias da região de Mossoró com o objetivo de impedir que os criminosos ultrapassassem o perímetro das buscas no estado do Rio Grande do Norte. Com a operação, o governo federal já gastou mais de R$ 1,5 milhão.

Suas preferências de cookies

Usamos cookies para otimizar nosso site e coletar estatísticas de uso.