Pesquisar
Close this search box.
Mato Grosso do Sul, 17 de abril de 2024
Campo Grande/MS
Fuente de datos meteorológicos: clima en Campo Grande a 30 días

Lula convidou presidente do Paraguai para visitar Mato Grosso do Sul, após impasse sobre Itaipu

De acordo com o deputado federal Vander Loubet (PT), o tema central do encontro com o presidente paraguaio foi o preço da energia vendida por Itaipu, entretanto outras questões relevantes foram discutidas
Foto: Ricardo Stuckert/PR
Foto: Ricardo Stuckert/PR

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) convidou o presidente do Paraguai, Santiago Peña, para visitar, ao lado dele, as obras da ponte de integração binacional entre os dois países, em Porto Murtinho.

A obra do lado brasileiro, que ligará Porto Murtinho à cidade paraguaia Carmelo Peralta, foi retomada no final do ano passado, com prazo de 26 meses para a conclusão com investimento de R$ 472,4 milhões. Do lado brasileiro, ainda será construído um centro aduaneiro.

De acordo com o deputado federal Vander Loubet (PT), o tema central do encontro com o presidente paraguaio foi o preço da energia vendida por Itaipu, entretanto outras questões relevantes foram discutidas.

“Para nós, do Mato Grosso do Sul, é muito importante que o Brasil mantenha boas relações com o Paraguai, afinal, estamos em um momento que preza pela integração dos nossos países através da Rota Bioceânica, com a ponte em Porto Murtinho”, disse Vander.

Vander revelou que acredita que este ano o presidente faça uma visita nas obras da Bioceânica e que a vinda de Lula já está sendo articulada.

O convite de Lula a Penã aconteceu durante uma reunião entre os chefes de Estado no Palácio do Itamaraty, em Brasília, para tratar do impasse sobre o valor da tarifa da usina hidrelétrica de Itaipu, que é uma empresa binacional gerida pelos dois países.

“Convidei o companheiro Santiago Peña para que a gente possa fazer conjuntamente uma visita em Porto Murtinho, para que a gente possa visitar a chamada ponte da integração”, afirmou Lula.

Rota Bioceânica

A Rota Bioceânica encurtará a distância para as exportações e importações brasileiras entre mercados potenciais na Ásia, Oceania e Costa Oeste dos Estados Unidos. Também integrará a América do Sul e transformará Mato Grosso do Sul em um hub logístico, um centro de distribuição de mercadorias.

Mato Grosso do Sul é o coração da rota, que vai seguir pela cidade de Porto Murtinho; cruzará o território paraguaio por Carmelo Peralta, Mariscal Estigarribia e Pozo Hondo.

Depois irá atravessar por território argentino as cidades de Misión La Paz, Tartagal, Jujuy e Salta; ingressando no Chile pelo Passo de Jama, até alcançar os portos de Antofagasta, Mejillones e Iquique.

Do lado brasileiro, a obra foi retomada no fim do ano passado, pela União, com investimento de R$ 472,4 milhões e prazo de 26 meses para sua conclusão. Será pavimentado um trecho de 13 quilômetros ligando a BR-267 ao acesso à ponte, em um contorno rodoviário em Porto Murtinho até a cidade de paraguaia de Carmelo Peralta, onde está sendo erguida a parte da obra sob responsabilidade do país vizinho. Ainda está prevista, do lado brasileiro, a construção de um centro aduaneiro.

Após a reunião, Lula afirmou que ainda existe divergência, mas que o tema seguirá sendo tratado pelas equipes de ambos os governos para que se chegue a uma solução, e que a celeridade de resolução desse impasse é uma prioridade.

“Nós estamos dispostos a encontrar uma solução, agora é o Brasil que tem que ir a Assunção para que a gente possa continuar as tratativas para encontrar uma solução definitiva, eu tenho interesse que isso seja feito o mais rápido possível e que a gente possa trabalhar para apresentar uma solução definitiva de novas relações entre Paraguai e Brasil na gestão da nossa importante Itaipu”, afirmou Lula.

O Paraguai bloqueou o orçamento da Itaipu Binacional para 2024, com o objetivo de pressionar o aumento da tarifa. A medida fez com que prestadores de serviços e fornecedores deixassem de receber o salário dos dois lados, 70 funcionários foram afetados somente no Brasil. Todos os municípios de Mato Grosso do Sul recebem energia gerada pela Itaipu.

Suas preferências de cookies

Usamos cookies para otimizar nosso site e coletar estatísticas de uso.