Pesquisar
Close this search box.
Mato Grosso do Sul, 25 de maio de 2024
Campo Grande/MS
Fuente de datos meteorológicos: clima en Campo Grande a 30 días

Narcotraficante, dono de jazidas de ouro e foragido da justiça, é preso na fronteira de Mato Grosso do Sul com o Paraguai

Investigação da PF apontou que “Rochinha” usava o serviço de táxi aéreo, minas de ouro na região Norte do país e fazendas de criação de gado para lavar dinheiro oriundo do comércio de cocaína
João Soares Rocha. Foto: Divulgação
João Soares Rocha. Foto: Divulgação

Apontado como traficante internacional de drogas e dono de jazidas de ouro no Pará, João Soares da Rocha, o “Rochinha”, foi preso nesta quinta-feira (21) na fronteira de Mato Grosso do Sul com o Paraguai.

Ele estava sendo procurado pela Justiça brasileira acusado de mandar matar um ex-policial federal em Goiás e atualmente morava em Pedro Juan Caballero, cidade paraguaia separada por uma rua de Ponta Porã (MS).

Nesta quinta-feira, agentes do Departamento Contra o Crime Organizado da Polícia Nacional do Paraguai e da Polícia Federal brasileira desencadearam ação conjunta para prender o foragido, de 70 anos de idade.

No bairro Bernardino Caballero, onde Rochinha morava, armas curtas e longas, munições e vários celulares foram apreendidos, mas o brasileiro não foi encontrado. Simultaneamente, policiais brasileiros o localizaram circulando pelo centro de Ponta Porã. João Soares da Rocha foi preso e levado para a delegacia da PF.

Minas de ouro

Em fevereiro de 2019, “Rochinha” e sua organização criminosa foram alvos da Operação Flak, da Polícia Federal. Os mandados foram cumpridos em Goiás, Tocantins e Pará. João Soares da Rocha foi preso em Tucumã (PA) e quase 50 aviões usados pela quadrilha no tráfico de cocaína foram apreendidos.

Investigação da PF apontou que “Rochinha” usava o serviço de táxi aéreo, minas de ouro na região Norte do país e fazendas de criação de gado para lavar dinheiro oriundo do comércio de cocaína.

Meses depois, “Rochinha” conseguiu habeas corpus e saiu da cadeia. A defesa dele alegou que o homem era empresário e desempenhava apenas atividades lícitas.

Em abril de 2020, o traficante foi acusado de ser o mandante do assassinato do ex-agente da PF Silvio José Dourado, 53, em Goiânia (GO). Segundo a Polícia Civil goiana, “Rochinha” encomendou o crime por ciúmes, já que Dourado teria se envolvido com a ex-mulher do bandido.

O pistoleiro foi preso em Tocantins no mês seguinte, mas João Soares da Rocha desapareceu, até ser preso ontem em Ponta Porã. A PF ainda não se manifestou sobre a captura dele.

Suas preferências de cookies

Usamos cookies para otimizar nosso site e coletar estatísticas de uso.