Pesquisar
Close this search box.
Mato Grosso do Sul, 3 de março de 2024
Campo Grande/MS
Fuente de datos meteorológicos: clima en Campo Grande a 30 días

ONU vai discutir guerra de Israel e tensão entre Venezuela e Guiana nesta sexta (8)

O conflito no Oriente Médio é um dos temas mais vetados da história do órgão, e a dificuldade de se chegar a um consenso tem causado frustração na comunidade internacional

Fontes diplomáticas afirmaram que uma resolução pedindo por um cessar-fogo imediato na guerra de Israel estaria circulando entre os países-membros do Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU). O documento pode ser votado nesta sexta-feira (8) ao meio-dia, horário de Brasília.

Ao redigirem a versão final do texto, representantes dos Emirados Árabes Unidos teriam ignorado sugestões dos Estados Unidos para mencionar pausas humanitárias e focar nas ações do Hamas.

Em vez disso, a resolução cita “preocupação grave com a situação humanitária catastrófica na Faixa de Gaza” e com o “sofrimento da população civil palestina”. O texto ainda ressalta que ambos palestinos e israelenses civis devem ser protegidos de acordo com a lei humanitária internacional.

Nesta semana, a representação dos Emirados Árabes Unidos na ONU destacou: “A situação na Faixa de Gaza é catastrófica e quase irreversível. Não podemos esperar. O Conselho precisa de agir de forma decisiva para exigir um cessar-fogo humanitário”.

A resolução seria uma resposta à invocação do Artigo 99 da Carta das Nações Unidas pelo secretário-geral da ONU, Antonio Guterres. Foi a primeira vez em décadas que o artigo foi invocado.

O dispositivo pode ser acionado pelo secretário-geral quando há situações que podem ameaçar a manutenção da paz e da segurança internacionais. A ferramenta é uma forma de Guterres pressionar o Conselho de Segurança a pedir por um cessar-fogo.

Para que uma resolução seja adotada pelo Conselho, é preciso ter o voto favorável da maioria dos 15 integrantes e nenhum veto por parte dos membros permanentes — Estados Unidos, Reino Unido, França, China e Rússia.

O conflito no Oriente Médio é um dos temas mais vetados da história do órgão, e a dificuldade de se chegar a um consenso tem causado frustração na comunidade internacional, levantando questões sobre o papel do Conselho.

Tensão entre Venezuela e Guiana

Em outra sessão na tarde desta sexta-feira, o Conselho de Segurança da ONU coloca em discussão a situação na região de Essequibo, objeto de disputa entre Venezuela e Guiana.

A solicitação foi feita pela representação da Guiana junto às Nações Unidas e foi analisada pelo Equador, país que ocupa a presidência rotativa do conselho em dezembro.

A reunião deve ser a portas fechadas. Os países-membros devem ouvir mais sobre a escalada de tensão e, a partir disso, discutir quais medidas podem ser tomadas.

Os representantes podem propor resoluções ou comunicados conjuntos que atuam como uma forma de pressão internacional sobre os líderes dos países.

Suas preferências de cookies

Usamos cookies para otimizar nosso site e coletar estatísticas de uso.