Pesquisar
Close this search box.
Mato Grosso do Sul, 20 de abril de 2024
Campo Grande/MS
Fuente de datos meteorológicos: clima en Campo Grande a 30 días

Sexo na velhice mantém cérebro saudável, aponta pesquisa

O sexo também está relacionado com a liberação de dopamina, neurotransmissor responsável por levar informações de felicidade e satisfação ao cérebro

Praticar sexo na velhice tem relação com a manutenção da saúde do cérebro, mostrou uma pesquisa publicada pelo Departamento de Sociologia e Serviço Social da Hope College, em Michigan, nos Estados Unidos. 

Segundo o estudo, publicado em outubro, a preservação da qualidade cerebral na velhice se dá porque o sexo ajudaria nas funções cognitivas.

“Para [adultos com] idades entre 75 e 90 anos, sexo mais frequente está relacionado a um melhor funcionamento cognitivo”, diz o relatório publicado no mês passado no Journal of Sex Research, de autoria de Shannon Shen, pesquisadora da Hope College.

Método

Na pesquisa, foram analisadas informações de 1.683 homens e mulheres, com idades superiores a 62 anos. Todos haviam participado de um projeto chamado Projeto Nacional de Vida Social, Saúde e Envelhecimento. Os dados dos participantes da pesquisa foram coletados há cinco anos.

A partir da análise das informações, foi possível avaliar pontuações de testes cognitivos em diferentes áreas, como memória de trabalho, atenção e habilidades visuoespaciais. Os participantes que responderam ter uma vida sexual “muito prazerosa e satisfatória” tiveram os melhores resultados em testes de avaliação da saúde cognitiva cinco anos depois, em comparação com os demais voluntários da pesquisa.

Regulação do estresse

Os pesquisadores da Hope College creem que a resposta em relação à frequência do sexo pode estar relacionada com a regulação do estresse. “O estresse impede a nova formação de neurônios (neurogênese) no hipocampo, uma área do cérebro associada à memória. Adultos mais velhos que têm atividades sexuais satisfatórias podem experimentar diminuição do estresse, protegendo a neurogênese”, dizem os autores.

Dopamina

O sexo também está relacionado a liberação de dopamina no cérebro, neurotransmissor que causa o aumento da sensação de prazer. “As pessoas com relacionamentos sexualmente mais satisfatórios podem experimentar níveis mais elevados do hormônio do prazer, que tem sido associado à melhora da memória em adultos mais velhos”, defende a pesquisa.

Como manter o sexo ativo na terceira idade?

Apesar das mudanças que ocorrem no corpo do homem, a chegada da idade não é um motivo para deixar a vida sexual de lado. Pelo contrário: a sexualidade é um fator importante para uma vida saudável. Com as dicas certas, é possível se manter sexualmente ativo. Saiba o que você pode fazer!

Escolha um horário que você esteja com energia

A energia do nosso corpo aos 60 anos não é a mesma de quem tem 20. Com o passar da idade, nosso pico de energia tende a diminuir gradativamente. E como a relação sexual exige uma boa energia, a dica é praticá-la quando você está bem disposto. Assim, adaptar o horário de manter suas relações sexuais pode ser um caminho para preservar o sexo na terceira idade.

Invista nas preliminares

Na terceira idade, o homem pode precisar de mais estímulo para obter uma ereção. Portanto, não tenha pressa para realizar a relação sexual com penetração. Estimular o pênis antes do ato sexual, seja sozinho ou com a ajuda da parceira, ajuda a facilitar a ereção, além de melhorar o clima antes da relação sexual em si. Um ambiente confortável, tranquilo e sem interrupções também ajuda nesse momento.

Valorize o afeto 

Geralmente, pacientes idosos se relacionam sexualmente com a parceira de casamento, ou seja, com quem tem uma relação de proximidade e cumplicidade durante muitos anos. Na terceira idade, valorizar o afeto existente com sua parceira também pode favorecer as relações sexuais. Por isso, uma conversa agradável, boas lembranças e intimidades únicas do casal podem ajudar a despertar o desejo para o sexo na terceira idade.

Procure relaxar 

Além de investir nas preliminares e criar momentos de intimidade antes da relação sexual, procurar maneiras de relaxar e se acalmar também é uma dica que você pode colocar em prática. Ouvir músicas relaxantes, tomar um chá, dentre outras atividades que promovem o relaxamento ajudam você a se concentrar melhor no ato sexual e perceber mais as sensações

Mantenha um estilo de vida saudável

alimentação equilibrada e a prática de exercícios físicos contribuem para melhorar nossa saúde de maneira geral. E quando estamos mais saudáveis, nosso desejo e desempenho sexual também tendem a melhorar. A atividade física merece uma atenção ainda mais especial, já que ajuda a melhorar o fluxo sanguíneo do organismo, inclusive para os órgãos genitais, além de deixar seu corpo mais preparado para o esforço físico da relação sexual.

Seja criativo

Deixar a rotina de lado e experimentar algo novo sempre é muito bem-vindo nas relações sexuais, principalmente para o sexo na terceira idade. Novas experiências podem desencadear substâncias químicas no cérebro e levar à excitação. Experimentar novas posições ou lugares, por exemplo, pode ser uma ótima alternativa.

Consulte um médico regularmente

Na terceira idade, é muito comum que o paciente apresente doenças ou condições de saúde que podem refletir diretamente na vida sexual, como diabetes e hipertensão. Por isso, a consulta e realização de exames regularmente é importante para avaliar o estado de saúde do paciente. Além disso, o acompanhamento também é fundamental para identificar possíveis complicações mais graves, como a disfunção erétil, e propor o tratamento mais adequado para cada caso.

Suas preferências de cookies

Usamos cookies para otimizar nosso site e coletar estatísticas de uso.