Pesquisar
Close this search box.
Mato Grosso do Sul, 5 de março de 2024
Campo Grande/MS
Fuente de datos meteorológicos: clima en Campo Grande a 30 días

Sojicultor brasileiro enfrenta escassez de sementes com replantio se suas lavouras provocado por El Niño

O El Niño tornou o Centro-Oeste do Brasil mais quente e seco e o sul muito mais úmido, e seus efeitos estão sendo sentidos em toda a cadeia de suprimentos
Imagem Capa - Blog DC
Imagem Capa - Blog DC

Os produtores brasileiros de soja, alguns dos quais foram forçados a replantar suas lavouras devido ao clima adverso no início da temporada, estão enfrentando uma escassez de sementes no mercado, uma vez que os fornecedores ficaram sem as principais cultivares, disse o CEO da Boa Safra Sementes, Marino Colpo, em uma entrevista à Reuters.

A escassez de sementes de soja no Brasil é o exemplo mais recente das consequências do padrão climático El Nino, que atrasou o plantio de soja no maior produtor mundial da oleaginosa e comprometeu as perspectivas da segunda safra de milho em 2024.

O milho segunda safra é plantado depois da soja nas mesmas áreas e representa cerca de 75% da produção nacional.

O El Niño tornou o Centro-Oeste do Brasil mais quente e seco e o sul muito mais úmido, e seus efeitos estão sendo sentidos em toda a cadeia de suprimentos.

Um analista de fertilizantes disse que a demanda por nutrientes para o plantio de milho segunda safra diminuiu em comparação com as temporadas anteriores, já que os agricultores provavelmente cultivarão menos para limitar exposição ao risco climático.

Colpo citou cinco cultivares de soja do portfólio da empresa que “os produtores não conseguem mais encontrar”.

Em algumas regiões, há gente ainda plantando soja, uma situação incomum em dezembro. Isso esgotou os estoques de sementes do mercado e está causando preocupação, disse Colpo.

“Os produtos mais procurados não tem mais”, disse Colpo sobre a busca por sementes de soja, que são praticamente todas geneticamente modificadas.

No Mato Grosso, o principal Estado produtor de grãos do Brasil, as áreas mais novas, plantadas pela primeira vez há cerca de dois anos, tiveram a maior taxa de replantio, em torno de 15%, disse Colpo, acrescentando que os agricultores de lá foram os que mais sofreram com a seca.

As fortes chuvas de novembro também forçaram o replantio no Paraná, no sul, de acordo com um analista.

Os produtores de Goiás, Minas Gerais e norte de São Paulo também precisaram de mais sementes do que o normal para o replantio, disse Colpo. As fazendas do Norte e Nordeste estão replantando de 10% a 15% de suas áreas, segundo ele.

O plantio de soja no Brasil está em sua etapa final, após atrasos pelas adversidades climáticas.

Suas preferências de cookies

Usamos cookies para otimizar nosso site e coletar estatísticas de uso.