Pesquisar
Close this search box.
Mato Grosso do Sul, 17 de abril de 2024
Campo Grande/MS
Fuente de datos meteorológicos: clima en Campo Grande a 30 días

Vacina contra HPV passa a ser em dose única, anuncia ministra da Saúde Nísia Trindade

A ministra informou que em ano ano passado foram aplicadas 5,6 milhões de doses do imunizante, o maior número desde 2018 e um aumento de 42% no número de doses aplicadas

A vacina contra o HPV passa a ser aplicada em dose única. O anúncio foi feito na noite de segunda-feira (1º/4) pela ministra da Saúde, Nísia Trindade, pelas redes sociais. Antes, o imunizante contra o vírus, principal causa do câncer de colo de útero, era aplicado em duas doses.

Segundo a ministra, a decisão de usar apenas uma dose de vacina foi baseada em estudos científicos, conforme recomendação da Organização Mundial da Saúde.

A ministra informou que em ano ano passado foram aplicadas 5,6 milhões de doses do imunizante, o maior número desde 2018 e um aumento de 42% no número de doses aplicadas em relação a 2022.

Prevenção

O Ministério da Saúde recomenda a vacina, que é distribuída de graça pelo Sistema Único de Saúde, para meninos e meninas de 9 a 14 anos; vítimas de abuso sexual de 15 a 45 anos (homens e mulheres) que não tenham tomado a vacina; mulheres e homens que vivem com HIV, transplantados de órgãos sólidos, de medula óssea ou pacientes oncológicos na faixa etária de 9 a 45 anos.

Durante o anúncio da dose única da vacina contra o HPV, a ministra da Saúde afirmou que estados e municípios também foram orientados a fazer uma busca ativa dos jovens de até 19 anos que não receberam nenhuma dose do imunizante para atualizar a vacinação.

A doença

Uma das Infecções Sexualmente Transmissíveis (ISTs) mais comuns, o Papilomavírus Humano, mais conhecido como HPV, é um vírus que possui mais de 200 tipos. Dois deles são responsáveis por 70% dos casos de câncer de colo de útero, que é o terceiro tumor mais frequente na população feminina e a quarta causa de morte de mulheres por câncer, de acordo com o Ministério da Saúde.

Estimativas indicam que cerca de 17 mil mulheres sejam diagnosticadas com câncer de colo de útero no Brasil todos os anos.

O que é HPV?

O HPV diz respeito a um vírus que consegue atingir as mucosas e a pele do ser humano, geralmente, causando verrugas. Contudo, em casos mais sérios, ele pode ocasionar lesões que precedem o câncer em algumas partes do corpo, como ânus, colo de útero ou garganta.

Por sua transmissão ocorrer pelo contato com a pele e, principalmente, por meio do contato sexual, ele é considerado uma IST (Infecção Sexualmente Transmissível) que é o novo termo utilizado pelo Ministério da Saúde para DST (Doença Sexualmente Transmissível).

Quanto aos tipos, existem mais de 200, contudo, até hoje, apenas 150 foram identificados. Dentre eles, 14 podem ocasionar os cânceres acima citados.

Quais são os sintomas?

Se você notar o surgimento de lesões ou verrugas na pele, é hora de procurar um médico o mais rapidamente possível, tendo em vista que esses são os principais sintomas do HPV.

Geralmente, elas aparecem na região genital, mas existe a possibilidade de surgirem em outras partes do corpo. Nas mulheres, é comum as lesões ou verrugas se desenvolverem na vagina, no colo do útero ou na vulva. Já nos homens, o pênis é o lugar mais afetado.

E as causas?

Conforme mencionamos, o vírus pode ser transmitido em contato com a pele. No entanto, diferentemente de outras ISTs, a transmissão de fluidos não é necessária para que a transmissão aconteça o simples contato entre o pênis e a vagina já é o suficiente para que haja o contágio.

Devido a isso, o uso da camisinha se torna fundamental para a prevenção do HPV — lembrando que ela, inclusive, não deve ser deixada de lado na hora do sexo anal ou oral.

Apesar de raras, existem outras formas de transmissão, como compartilhamento de roupas íntimas ou toalhas e contato com a pele. Além disso, no momento do parto, a mãe pode transmitir a doença para o bebê.

Quais são os principais tratamentos?

Em termos gerais, o tratamento mais adequado será indicado pelo médico, o qual avaliará o tipo de manifestação da doença, a localização e o grau da lesão ou verruga.

Em todo caso, entre os tratamentos mais comuns estão aplicação de cremes e retirada da lesão por meio de cauterização. Feito isso, o profissional solicitará exames para verificar se o sistema imunológico conseguiu eliminar o vírus do organismo.

Qual é a importância da vacina contra HPV?

Basicamente, o tipo de vacina relacionada ao HPV estimula a produção dos anticorpos responsáveis por proteger nosso organismo contra infecções em casos de contágio ou exposição. Hoje em dia, o Brasil comercializa duas variedades de vacina contra HPV, que combatem de dois a quatro tipos do vírus.

Ela é aplicada em três doses. A primeira quando a criança completa 9 anos, e a segunda quando ela alcança os 14 anos. A terceira dose só é administrada aos 15 anos, ressaltando que as pessoas que têm a imunidade comprometida podem receber essa última com qualquer idade. Nesse ponto, vale ressaltar ainda que a vacina pode ser aplicada tanto em meninas quanto em meninos.

O HPV é uma doença séria e que deve ser tratada o mais rapidamente possível. Por isso, não deixe de consultar seu médico periodicamente e realizar os check-ups necessários, de modo a assegurar seu bem-estar e sua qualidade de vida.

Quer receber mais conteúdos relevantes sobre cuidados com a saúde diretamente no seu e-mail? Assine nossa newsletter e não perca mais nossas atualizações!

Suas preferências de cookies

Usamos cookies para otimizar nosso site e coletar estatísticas de uso.