Pesquisar
Close this search box.
Mato Grosso do Sul, 20 de abril de 2024
Campo Grande/MS
Fuente de datos meteorológicos: clima en Campo Grande a 30 días

Vacina da dengue: Saúde vai priorizar imunização de crianças e adolescentes

O imunizante não é produzido em larga escala, de acordo com o laboratório responsável, a previsão é que sejam entregues 5 milhões de doses este ano entre fevereiro e novembro
A dengue não é transmitida de pessoa para pessoa. A transmissão ocorre através da picada do mosquito Aedes aegypti
A dengue não é transmitida de pessoa para pessoa. A transmissão ocorre através da picada do mosquito Aedes aegypti

O Ministério da Saúde realizou, nesta segunda-feira (15/1), uma reunião para definir as estratégias de distribuição e aplicação da vacina contra a dengue em todo o território nacional. O imunizante foi incorporado ao Programa Nacional de Imunizações (PNI) em dezembro do ano passado. A pasta informou que vai priorizar a imunização de crianças e adolescentes de 6 a 16 anos com a vacina contra a dengue.

Eder Gatti, diretor do Programa Nacional de Imunizações (PNI), afirmou que a primeira reunião da Câmara Técnica de Assessoramento em Imunizações (CTAI), foi feita para ouvir especialistas na área de imunização e em arboviroses para auxiliar a pasta nas decisões para aplicação da vacina contra a dengue.

De 6 a 16 é uma faixa etária que vamos priorizar. Dentro dessa faixa etária, a gente vai decidir qual é o melhor grupo etário a se vacinar e atingir o melhor resultado que seja tanto operacionalmente interessante para estados e municípios, ou seja, que eles consigam executar da melhor forma possível mas ao mesmo tempo a gente consiga ter resultados epidemiológicos, que de fato a gente evite casos e hospitalizações, explicou Eder Gatti. O diretor do PNI informou que em 25 de janeiro será realizada uma reunião para definir a quantidade de doses que serão distribuídas aos estados.

A Qdenga (TAK-003), do laboratório japonês Takeda Pharma, recebeu o registro de uso da União Europeia no começo de dezembro para crianças a partir de 4 anos e protege contra qualquer um dos quatro sorotipos do vírus da dengue. O imunizante é aplicado em duas doses com intervalo de três meses, e pode ser usado tanto em pessoas que já tiveram a doença como nas que não tiveram.

Segundo dados do laboratório, a vacina QDenga demonstrou eficácia de 80% na prevenção da febre causada pela dengue em crianças e adolescentes nos 12 meses que se seguiram à segunda dose. A vacina contém vírus vivos atenuados da dengue que foram enfraquecidos e induz respostas imunológicas contra os quatro sorotipos da dengue. A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovou o registro do imunizante em março de 2023.

O imunizante não é produzido em larga escala, de acordo com o laboratório responsável, a previsão é que sejam entregues 5 milhões de doses este ano entre fevereiro e novembro. A distribuição deve ser focada em público e regiões prioritárias. “A gente não abre mão das vacinas oferecidas e vamos elaborar uma estratégia para usar da melhor forma possível essas vacinas que estão sendo adquiridas. A gente precisa ter o apoio dos estados e municípios para construção de uma política pública que seja muito robusta”, afirmou Gatti.

O Ministério da Saúde e a Fiocruz projetam que o número de casos de dengue este ano deve variar entre 1,7 milhão e 5 milhões, com uma média de 3 milhões. Devido ao aumento no número de casos da doença, os estados brasileiros têm traçado diferentes estratégias de enfrentamento. Em Minas Gerais, por exemplo, a Secretaria de Saúde planeja utilizar drones para despejar larvicidas em pontos com água parada. Já no Distrito Federal, uma equipe de 800 profissionais de vigilância ambiental estão realizando inspeções, nos dias úteis, em terrenos abandonados e em outros lugares com potencial de abrigar o mosquito transmissor da dengue.

Suas preferências de cookies

Usamos cookies para otimizar nosso site e coletar estatísticas de uso.