Pesquisar
Close this search box.
Mato Grosso do Sul, 17 de abril de 2024
Campo Grande/MS
Fuente de datos meteorológicos: clima en Campo Grande a 30 días

Agems intensifica visitas técnicas em municípios de Mato Grosso do Sul para melhor gestão de resíduos sólidos urbanos

Recentemente, os técnicos estiveram a campo visitando os municípios de Maracaju, Antônio João e Ponta Porã
O lixo passa por uma triagem na esteira, onde são separados os materiais secos que podem ser reciclados
O lixo passa por uma triagem na esteira, onde são separados os materiais secos que podem ser reciclados

Equipes da Agems (Agência de Regulação do Mato Grosso do Sul) têm desempenhado um papel crucial ao percorrer os municípios do estado, levando informações para a população sobre os serviços públicos e realizando visitas técnicas de saneamento básico, especialmente no que diz respeito aos resíduos sólidos domiciliares urbanos.

O cuidado ambiental é essencial para garantir a sustentabilidade e a qualidade de vida das presentes e futuras gerações. No contexto específico de Mato Grosso do Sul, a agência de regulação apoia os municípios na implementação de práticas e políticas ambientais.

“Por meio de orientações técnicas, fiscalizações e incentivos, a agência pode ajudar os municípios a adotarem medidas que promovam a preservação dos recursos naturais, a redução da poluição e o desenvolvimento sustentável. Essa colaboração é crucial para proteger o meio ambiente e garantir um futuro mais saudável e equilibrado para todos os sul-mato-grossenses”, explica a diretora de saneamento básico e resíduos sólidos da Agems, Iara Marchioretto.

Como funcionam essas visitas?

Recentemente, os técnicos estiveram a campo visitando os municípios de Maracaju, Antônio João e Ponta Porã. Em Maracaju, por exemplo, além de conversarem com as autoridades locais para entender os desafios e avanços do setor de saneamento, também visitaram o Centro de Triagem local, onde foram recebidos pela Cooperativa Recicla Maracaju. Essa visita, permitiu verificar de perto os processos de triagem e reciclagem realizados no local todos os dias.

Os serviços regulados estão avançando em terras maracajuenses graças às boas práticas de gestão da operação, gerenciamento dos custos e arrecadação da taxa de custeio dos serviços, que é complementada com o ICMS ecológico. O esforço conjunto entre a Secretaria de Desenvolvimento e Meio Ambiente, a Gerência de Resíduos Sólidos e as demais secretarias do município tem resultado em ganhos para a população e bom desempenho dos serviços públicos.

Danielle Vendimiatti, engenheira ambiental e coordenadora da Câmara Técnica de Resíduos Sólidos da Agems, destaca que, estão previstos investimentos na ampliação da área de transbordo e outras benfeitorias, que serão feitas com recursos próprios do município e também por meio de recursos a serem recebidos da Itaipu Binacional.

“Está prevista a construção de um novo barracão com maior capacidade e melhores condições para os trabalhadores, até porque, já existe uma balança na entrada da unidade de transbordo em Maracaju, que permite ao operador controlar a pesagem de todos os veículos que coletam resíduos na área, sejam eles convencionais ou seletivos”, explica Danielle.

Outras cidades também estão recebendo inspeções e ações da Agems, como é o caso de Antônio João, onde se pretende aumentar a capacidade de frequência de coleta e transbordo dos resíduos.

O município de Ponta Porã também está trabalhando na melhoria dos serviços com a aquisição de equipamento para a trituração dos resíduos de poda e ativação de um ponto de recebimento dos galhos e folhas, e também por meio da utilização de software de gestão da arrecadação da taxa dos serviços de manejo dos resíduos sólidos urbanos.

Combate à dengue

A saúde pública também é beneficiada com essas ações, uma vez que a separação adequada dos resíduos e a coleta seletiva ajudam a evitar o acúmulo de lixo, que pode se tornar criadouro para vetores transmissores de doenças, como o Aedes aegypti, responsável pela transmissão da dengue.

“O descarte correto do lixo é fundamental para evitar que recipientes se tornem criadouros do Aedes aegypti. A devida separação e a colocação do lixo em dias e horários certos de coleta, conforme a região, também ajudam no combate”, pontua o engenheiro ambiental João Lucas Alves, que acompanhou as visitas nos municípios.

Dados do Levantamento de Índice Rápido de Infestação por Aedes aegypti (LIRAa) mostram que o Centro-Oeste do país concentra 43,8% dos criadouros do mosquito em lixo. Portanto, a conscientização e as ações de manejo adequado dos resíduos são essenciais para a saúde da população e a preservação do meio ambiente.

Essas iniciativas da Agems demonstram o comprometimento da agência com a promoção da sustentabilidade e a melhoria da qualidade de vida dos cidadãos sul-mato-grossenses, mostrando que cuidar do meio ambiente também é cuidar da saúde pública.

Suas preferências de cookies

Usamos cookies para otimizar nosso site e coletar estatísticas de uso.