Pesquisar
Close this search box.
Mato Grosso do Sul, 2 de março de 2024
Campo Grande/MS
Fuente de datos meteorológicos: clima en Campo Grande a 30 días

Com 8,6 mil casos estimados em MS, câncer de mama é tema de debate entre servidores do Estado

Mato Grosso do Sul deve registrar mais de 8,6 mil casos de câncer de mama em todo o ano de 2023, segundo estimativa do Inca (Instituto Nacional de Câncer). Esse tipo de tumor também é o mais frequente no Brasil, quando são excluídos os casos de câncer de pele induzido pelo sol.

Com números alarmantes, a doença e suas formas de prevenção foram tema de palestra realizada nesta terça-feira (17) para servidores da Infraestrutura e da Agricultura Familiar do Governo do Estado, dentro da campanha Outubro Rosa.

A médica mastologista Thaís Regina Daltoé Inglez, presidente da SBM-MS (Sociedade Brasileira de Mastologia, regional de Mato Grosso do Sul), conversou com os servidores no auditório da Agraer (Agência de Desenvolvimento Agrário e Extensão Rural) e tirou dúvidas.

“O câncer de mama é o mais frequente na nossa população entre as mulheres e por isso quanto mais cedo diagnosticarmos melhor será o tratamento e as chances de cura. Se atentar, fazer os exames de rotina e prevenir é sempre o melhor remédio”, destacou a médica mastologista.

Realizada através de parceria da Seilog (Secretaria Estadual de Infraestrutura e Logística) com a Agesul (Agência Estadual de Gestão de Empreendimentos) e a Agraer, a palestra reuniu dezenas de servidores estaduais. A abertura da ação ficou a cargo do diretor-presidente da Agraer, Washington Willeman.

“É de extrema importância esse movimento que é feito para conscientizar as mulheres a procurarem atendimento médico e ter hábitos que possam prevenir a doença. Nós prezamos pela saúde dos nossos servidores e estamos atentos a essa campanha”, afirmou.

Servidora da Agesul presente na palestra, a advogada Meire Figueira pontuou as vantagens da ação para os funcionários do Estado. “A palavra câncer choca. Então, você ter a oportunidade de um bate-papo leve e com informações sobre a saúde da mulher e a importância do diagnóstico precoce é extremamente relevante”, ressaltou. 

Gestora sócio organizacional da Agraer, Loretta Souza Pereira também enalteceu a iniciativa. “Faz tempo que trabalho na Agraer e nunca tinha participado de uma palestra desse nível, com informações relevantes e esclarecendo dúvidas sobre os anticoncepcionais e os hormônios, por exemplo. Acredito que isso nos motiva a procurar nossos médicos e também um mastologista porque a incidência do câncer de mama é muito grande e o tratamento com antecedência aumenta a chance de cura”, frisou.

Foto: Chico Ribeiro

Suas preferências de cookies

Usamos cookies para otimizar nosso site e coletar estatísticas de uso.