Pesquisar
Close this search box.
Mato Grosso do Sul, 25 de maio de 2024
Campo Grande/MS
Fuente de datos meteorológicos: clima en Campo Grande a 30 días

Marinha envia maior navio de guerra da América Latina para ajudar a população do Rio Grande do Sul

Além do “Atlântico”, a Marinha informou que enviou na terça-feira, 7, outras aeronaves, o Navio de Apoio Oceânico “Mearim” e o Navio-Patrulha Oceânico “Amazonas”
Outras 40 viaturas e 200 militares Fuzileiros Navais também vão para o Rio Grande do Sul
Outras 40 viaturas e 200 militares Fuzileiros Navais também vão para o Rio Grande do Sul

A Marinha do Brasil informou que vai enviar o maior navio de guerra da América Latina para ajudar a população do Rio Grande do Sul. A embarcação partirá do Rio de Janeiro nesta quarta-feira, 8, com destino a cidade de Rio Grande, no litoral gaúcho.

Segundo a Marinha, o Navio-Aeródromo Multipropósito (NAM) “Atlântico”, o Capitânia da Esquadra brasileira, transportará duas estações móveis para tratamento de água, capazes de produzir um total de 20 mil litros de água potável por hora. O objetivo é suprir a demanda das cidades que sofrem com a escassez desde o rompimento das barragens.

O “Atlântico” levará oito embarcações de médio e pequeno porte para auxiliar no resgate às vítimas ilhadas. Outras lanchas já estão em uso no estado desde o dia 30 de abril. A Fragata “Defensora”, que transportará doações e suprimentos, também tem previsão de partida para esta quarta.

Outras 40 viaturas e 200 militares Fuzileiros Navais também vão para o Rio Grande do Sul para atuar na desobstrução das vias de acesso, além de equipes de apoio à saúde, formadas por médicos e enfermeiros.

Além do “Atlântico”, a Marinha informou que enviou na terça-feira, 7, outras aeronaves, o Navio de Apoio Oceânico “Mearim” e o Navio-Patrulha Oceânico “Amazonas”.

Com relação aos desaparecidos, o número permaneceu em 131. Até o momento, há o registro de 1.443.950 pessoas afetadas pelo desastre em 401 municípios. Destes, 48.799 estão em abrigos, 159.036 estão desalojados, e há 372 feridos.

A Defesa Civil investiga ainda a causa de outros quatro óbitos que podem ter relação com as enchentes, nas cidades de Caxias do Sul, Pinhal Grande, Santa Maria e Três Coroas.

Suas preferências de cookies

Usamos cookies para otimizar nosso site e coletar estatísticas de uso.